2018 poder ser um ponto de inflexão para a economia global
5 ( 1 voto )

  •  Segundo o Relatório Anual de Perspectivas do Serviço de Estudos da MAPFRE
  •  A economia global crescerá 3,7% este ano, os mercados desenvolvidos cerca de 2% e os emergentes 4,9%
  •  A Espanha continuará a liderar o crescimento na Europa, porém, a uma taxa inferior (2,6%)

É possível que a economia global cresça 3,7% este ano, um décimo a mais do que espera-se que seja registrado em 2017, e acima das expectativas de 12 meses atrás. Nesse ínterim, o crescimento global se fortaleceu e foi generalizado entre os mercados desenvolvidos e emergentes. Em 2018 a previsão é de uma aceleração na contribuição para o crescimento mundial dos mercados desenvolvidos (já acima de 2%) e dos mercados emergentes (por volta de 4,9%), estes últimos liderados pela resiliência no crescimento na China e pela saída da recessão do Brasil e da Rússia.

Contudo, a dinâmica da atividade econômica global também demonstra sinais de estabilização e antecipa a probabilidade de que o momento seja o preâmbulo de uma mudança de ciclo que seria materializado no final de 2019. Esta é uma das principais previsões incluídas no relatório “Panorama econômico e setorial 2018”, elaborado pelo Serviço de Estudos da MAPFRE e editado pela Fundación MAPFRE.

Assim, como explica Manuel Aguilera, diretor geral do Serviço de Estudos, “2018 será um ano dominado pela mudança no momento cíclico de várias economias desenvolvidas, pela possível reversão do excesso de otimismo que deve acontecer antes das mudanças de ciclo econômico, e pelo início de um processo gradual de ajuste da liquidez global”.

O mundo ainda vive um forte momento de expectativas que, apesar do dinamismo da atividade econômica, está distante do desempenho dos indicadores reais. Esse risco poderá transformar a visão de continuidade de 2018 em um cenário de risco. Neste caso, o catalisador será um choque de liquidez global aumentado e transmitido por uma má gestão monetária e um comportamento pró-cíclico das carteiras de investimentos globais.

O relatório enfatiza o risco de queda das expectativas de inflação de longo prazo, que terá uma singular relevância em 2018. A inflação permanecerá contida, embora orientada para os objetivos dos bancos centrais e, com as taxas de juros de longo prazo crescendo, com tímidas melhoras em seus prêmios por prazo. O prognóstico do Serviço de Estudos é de que a taxa de juros oficial dos Estados Unidos fique em aproximadamente 2% até o final de 2018, enquanto a taxa do BCE se manterá em 0%.

Trata-se do segundo relatório anual de perspectivas preparado pela unidade de análise econômica da MAPFRE. Esse relatório tem o propósito de oferecer uma visão geral das perspectivas e previsões relacionadas ao comportamento econômico em nível global e das principais economias durante 2018 e, a partir desse marco geral, de analisar o ambiente que poderá ser enfrentado pelo setor de seguros.

Espanha, na liderança do crescimento na Europa

As previsões para a Espanha mantêm seu crescimento na liderança da Europa, mas dificilmente repetirá o êxito registrado em 2017. A maturidade do ciclo e o custo da confusão política situam o crescimento previsível de 2018 em cerca de 2,6% (em comparação à previsão de que seja registrado 3,1% em 2017), o que não deixa de ser um crescimento superior à sua jornada de longo prazo. Essa previsão tem aumento nos riscos caso o ambiente político melhore e as reformas estruturais realizadas no passado ampliem a margem de crescimento. A taxa de desemprego da economia espanhola já está no limite estrutural (cerca de 16%), o que, na ausência de reformas, apresenta desafios para aumentar a atividade de forma sustentável.

Riscos globais

O relatório identifica determinados riscos globais que podem levar a um recorte dessas previsões macroeconômicas para 2018. Alguns desses riscos são relacionados à geopolítica, com destaque para as crescentes tensões entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos. A este risco são somados possíveis erros de implementação na política econômica nos Estados Unidos e na China e, em nível doméstico, o ciclo político emergente pode dar força a correntes populistas mais relutantes em implementar reformas estruturais amplas e que, consequentemente, possam dificultar o processo de crescimento econômico.

Setor de seguros

No caso do setor de seguros, o crescimento mundial previsto para 2018 antecipa um impacto positivo no desenvolvimento do mercado segurador em nível global. Esse crescimento será especialmente observado nas economias emergentes, que apresentam maior elasticidade no crescimento do negócio segurador diante de crescimentos do nível de atividade.

Porém, nos países desenvolvidos, as políticas monetárias ainda afrouxadas continuam a pesar sobre o desenvolvimento dos seguros de Vida vinculados à previdência social e à poupança. Será necessário aguardar que os anúncios de normalização monetária se materializem e possam contribuir para o desenvolvimento desses mercados.

Por outro lado, as catástrofes naturais do último semestre terão um impacto significativo não somente nas taxas combinadas e na rentabilidade das seguradoras, mas também na tarifação dos seguros e nas renovações dos contratos de resseguro, em um mercado que, diante da ausência de catástrofes de grandes proporções, havia voltado a ser bastante competitivo em relação aos preços.

Para obter mais informações:

Relatorio completo, (disponível em espanhol)

Mais informações relacionadas:

Serviço de Estudos sobe as perspectivas da economia mundial Serviço de Estudos sobe as perspectivas da economia mundial

O índice de penetraçao do seguro, a métrica eficaz para medir o nível econômico e social de um país