Nas últimas semanas vários furacões surgiram no Atlântico, Caribe e no Golfo do México, nesse último foram produzidos vários terremotos. Outras tempestades continuam ativas e, enquanto este artigo está sendo finalizado, o foco atual está na passagem do furacão Maria por Porto Rico e República Dominicana.

A MAPFRE, todas as unidades que subscrevem riscos de catástrofe ficam especialmente na expectativa de quando ocorrerão eventos como esses. Assim explica o Diretor da Área da Natureza na MAPFRE RE, Juan Satrústegui, o qual, durante a entrevista que oferecemos a seguir, detalhou que algumas das fontes que são consultadas, além das atualizações dos meios de comunicação, são as sinalizações de organismos internacionais e nacionais que emitem alertas diante da ocorrência desse tipo de fenômenos, bem como outras ferramentas, como aplicativos móveis.

Sobre o acompanhamento da MAPFRE, os principais elementos que podem ter influência na gravidade de uma catástrofe, a importância que adquiriu a tecnologia em um mundo hiperconectado e o objetivo máximo da MAPFRE de estar sempre próxima ao cliente para poder oferecer a melhor resposta, falam Juan Satrústegui e Josefina Rodríguez, Chefe da Área de Riscos Catastróficos na MAPFRE GLOBAL RISKS, dois departamentos especializados que a empresa tem nessas unidades de negócio.