Antonio Huertas destaca a necessidade de reinvenção do seguro para sobreviver em um mundo em constante mudança
5 ( 3 votos )

O presidente da MAPFRE encerra a vigésima-quinta edição das Jornadas Internacionais da MAPFRE GLOBAL RISKS

Para sobreviver e vencer em um mundo global como no que vivemos atualmente, é necessário que as empresas seguradoras se reinventem e se adaptem aos novos ambientes nos quais são desenvolvidas suas atividades, sendo flexíveis para apresentar soluções adaptadas às necessidades de seus clientes. Essa foi uma das reflexões do presidente da MAPFRE, Antonio Huertas, durante o encerramento da vigésima-quinta edição das Jornadas Internacionais da MAPFRE GLOBAL RISKS, que, durante dois dias, reuniu em Granada mais de 500 participantes de 30 países para debater sobre os desafios enfrentados por esse setor.

Antonio Huertas destacou as rápidas mudanças que estão acontecendo na sociedade e que resultam em novos hábitos de consumo, aos quais o setor deve se adaptar. Nesse mesmo sentido, ressaltou que cada vez existem novos atores nesse setor, como fabricantes de automóveis, empresas de tecnologia ou de comunicações que desejam atuar como intermediários na relação com o cliente e que o seguro deve aprender com eles e mostrar-se imprescindível. “Há novas tendências, como o carro autônomo, o lar inteligente e big data, que devem ser conhecidas, analisadas e incorporadas ao nosso radar para a criação de novos modelos de negócio”, afirmou o presidente da MAPFRE.

A segurança cibernética e os riscos cibernéticos são alguns dos temas que têm despertado mais interesse nessas jornadas, e eles também foram abordados por Antonio Huertas. Os riscos cibernéticos são uma ameaça constante e, por isso, as empresas e os governos deverão continuar lutando em grande escala e dando ênfase ao papel “bastante relevante” desempenhado pelo seguro nessa nova realidade, tanto por tudo o que pode proteger quanto pela necessidade de enfrentar riscos sobre os quais ainda há pouco conhecimento.

“Os riscos nascem, se desenvolvem e morrem. Mas também se transformam. E esse é o desafio contínuo que enfrentamos em nossa atividade. O papel do setor de seguros é vital na nossa sociedade e evolui com ela”, destacou o presidente da MAPFRE.

Nesse encontro foram debatidos os desafios enfrentados pelo setor e também aspectos relacionados diretamente à segurança. A aplicação dos drones à gestão de riscos, o modelo global de aviação e segurança aérea e o uso de redes sociais em situações de desastres naturais e segurança nacional foram alguns dos temas abordados durante esses dias em Granada, em um encontro que se tornou referência para o setor de seguros internacional.