• Cria um fundo de recursos com a Abante e Altamar que reunirá os investimentos de todas as entidades do grupo neste setor

• Aplicará uma estratégia conservadora, alinhada à política de investimentos da MAPFRE

• Abre a possibilidade de participação por parte de investidores institucionais com um modelo de co-investimento

 

A MAPFRE decidiu dar um passo importante em investimentos alternativos, especificamente em capital privado (private equity). Lançou, juntamente com a Abante e Altamar, um fundo de fundos no qual o grupo segurador compromete um patrimônio total de até 250 milhões de euros. É o primeiro instrumento lançado com a Abante desde a aliança alcançada em setembro do ano passado, pela qual a MAPFRE detinha uma participação de 10% na empresa de consultoria financeira. Especificamente, o fundo será administrado pela Abante Asesores SGIIC e contará com a Altamar Private Equity SGIIC como consultora de investimentos.

A MAPFRE Private Equity FCR, já registrada na Comissão Nacional do Mercado de Valores (Espanha), reunirá os investimentos em capital privado já realizados por todas as entidades do grupo, assim como aqueles realizados a partir de agora, e contará com uma estratégia muito conservadora, alinhada à política de investimentos da MAPFRE. Especificamente, será criado uma carteira equilibrada em termos de rentabilidade-risco e diversificada por prazos de investimento, tamanhos de empresas e geografias, com maior peso no mercado dos Estados Unidos e da Europa. “Esses investimentos alternativos nos permitem diversificar o balanço patrimonial, em um ambiente de baixas taxas de juros, e também tendem a ser menos correlacionados com a evolução dos mercados, protegendo você em tempos de acentuados declínios, como os experimentados recentemente”, diz José Luis Jiménez, Diretor Geral de Investimentos da MAPFRE.

 

É um veículo ““Evergreen” ou permanente, uma modalidade que atende às necessidades das seguradoras e de outros investidores institucionais que, devido à natureza de seus negócios, precisam investir em ativos de longo prazo. Por esse motivo, é oferecida a possibilidade de outros investidores participarem de um modelo de co-investimento. E, diferentemente de um fundo tradicional de capital privado, cuja vida média é geralmente de dez ou doze anos, esse instrumento tem um prazo ilimitado.

 

A MAPFRE continua, assim, com sua estratégia de diversificar a carteira face a outros tipos de ativos financeiros e aumentar gradualmente seus investimentos alternativos, a fim de defender a rentabilidade em um ambiente de baixas taxas de juros. Nesse sentido, há quase um ano, o Conselho de Administração autorizou o investimento de outros 500 milhões de euros em investimentos alternativos, além dos 550 aprovados anteriormente. Não obstante, é uma pequena percentagem do total de ativos sob gestão do grupo, que, de acordo com os últimos resultados do final do trimestre, atingiu 59.271 milhões.