//Efetividade da responsabilidade social corporativa na MAPFRE

Efetividade da responsabilidade social corporativa na MAPFRE

Efetividade da responsabilidade social corporativa na MAPFRE
Classifique este artigo

Antonio Huertas assina um artigo de opinião para a AIRMIC (Association of Insurance and Risk Managers in Industry and Commerce) com foco na responsabilidade social corporativa.

Na publicação, o presidente da MAPFRE declara que a responsabilidade social corporativa poderia ser considerada como a “consciência” de uma empresa que visa maximizar seus lucros ética e legalmente. Além disso, adotar a RSC como um elemento-chave na forma de ver o negócio poderia servir como uma base para ajudar a empresa a buscar a melhoria contínua.

Na sua opinião, a MAPFRE demonstrou que a implementação dessa responsabilidade desde o primeiro contato com diferentes empresas ajudou não apenas a entender melhor os riscos, mas a aumentar, classificar, avaliar e garantir aqueles que são mais complexos, como tipicamente os dos clientes internacionais no setor de grandes riscos (global risks).

De acordo com o executivo, a forma com a qual os lucros foram alcançados na empresa tem muito a ver com a capacidade de liderança. Ao contar com líderes competentes que garantem a identificação de um risco relevante e a forma de atuar adequada, o risco de impacto é muito menor.

Atualmente, pode-se dizer que a Responsabilidade Social Corporativa deixou de ser uma mera exigência para as empresas para transformar-se em uma fonte repleta de possibilidades para as empresas.
A respeito do compromisso da MAPFRE, o presidente explica que “não somos uma empresa qualquer. Somos a MAPFRE. Além de sermos rentáveis, queremos que a nossa pegada social seja positiva, que as sociedades nas quais operamos sejam melhores.”

Clique aqui para ler o artigo completo em inglês.

2018-08-14T11:58:11+00:0014 Agosto 2018|Categorias: Notícias Corporativos|0 Comentarios