Galán: “Saímos das crises investindo nos setores do futuro. Devemos agir imediatamente. Um dos fatores fundamentais é colocar nosso balanço a serviço da recuperação econômica”.

O presidente da Iberdrola recebeu o prêmio MAPFRE Inclusão Responsável no I Fórum do Observatório MAPFRE para Finanças Sustentáveis

Os presidentes da Iberdrola e da MAPFRE, Ignacio Galán e Antonio Huertas, debateram hoje pela manhã na sede da Fundación MAPFRE a sustentabilidade e o investimento socialmente responsável no I Fórum do Observatório MAPFRE para Finanças Sustentáveis.

Huertas explicou que “não existe riqueza econômica e social se as empresas não tiverem capacidade de crescimento e rentabilidade”, e explicou que as empresas também contribuem para a melhora dos ambientes sociais e ambientais. “Se produzirmos economias low cost criaremos trabalhadores low cost e sociedades low cost. Proporcionar um bom salário e um bom emprego, oferecer e prestar serviços de qualidade, que o consumidor seja consciente do valor dos serviços que recebe, também pode ser a contribuição mais sustentável das empresas, entretanto, é preciso dar as condições econômicas e sociais que permitam isso.”

Nesse primeiro painel, moderado por María Veiga, jornalista do El Español, Ignacio Galán expôs sua opinião sobre como a economia espanhola pode enfrentar a recuperação pós-covid, e o papel que as empresas podem desempenhar nesse processo. Das crises, explicou o presidente da Iberdrola, “sempre saímos da mesma forma, investindo mais e melhor e sendo mais produtivos. Não podemos deixar uma economia subsidiada”. Devemos agir já, de forma decidida e coordenada, e impulsionar a recuperação por meio do investimento nos setores do futuro. Com isso, também transformaremos nossa economia para torná-la mais moderna, sólida e competitiva”. “Deixaremos uma dívida gigantesca para as gerações futuras, e temos a obrigação moral de deixar uma sociedade melhor, um país melhor. Um dos fatores fundamentais é colocar nosso balanço a serviço da recuperação econômica.”

A Iberdrola é a empresa vencedora da primeira edição do prêmio “MAPFRE Inclusão Responsável” por sua liderança no compromisso com as pessoas com deficiências, especialmente no desenvolvimento de projetos, políticas e adaptação profissional.

O prêmio, que celebra sua primeira edição, surge um ano após o lançamento do MAPFRE Inclusão Responsável, um fundo de investimento que inclui em sua carteira as empresas mais comprometidas com a inclusão profissional das pessoas com deficiências, das quais a Iberdrola faz parte.

Além disso, faz parte do contexto do propósito do Observatório MAPFRE de Finanças Sustentáveis, lançado no primeiro semestre com o objetivo de se transformar em um ponto de encontro da MAPFRE com as principais instituições acadêmicas a fim de impulsionar o desenvolvimento de instrumentos financeiros, seguros e aposentadorias que cumpram com critérios de investimento socialmente responsável.

Como investidora institucional, a MAPFRE vem aplicando os critérios ESG (ambientais, sociais e de governança, na sigla em inglês) há muitos anos. E a grande lição ressaltada por Huertas sobre essa filosofia de investimento é que ela é a mais rentável. “O investimento socialmente responsável está enriquecendo nosso balanço. Não somente no aspecto moral, porque investimos em empresas que fazem o que é certo. Além disso, a experiência nos mostra que no longo prazo é muito rentável investir em empresas que se comprometem com esses critérios.”

“A finalidade não é somente ganhar dinheiro”, completou Galán, “a parte financeira é importante, mas há muito mais que isso. Os funcionários e a sociedade que trabalham e servem às empresas. Sem ESG não existe F (financeiro)”.