A lacuna de proteção do seguro chega aos 5,77 trilhões de dólares em todo o mundo

A MAPFRE Economics, o Serviço de Estudos da MAPFRE, atualizou seu Índice Global de Potencial Segurador GIP-MAPFRE com os dados mais recentes disponíveis correspondentes a 2019. Esse indicador, que é calculado para 96 mercados de seguros, tanto os desenvolvidos quanto os emergentes, tem como objetivo medir o espaço possível de ser segurado em todo o planeta, por meio da criação de uma métrica que sintetiza os mercados que oferecem maior potencial segurador no médio e no longo prazos. Nesse sentido, a China, os Estados Unidos e a Índica lideram o ranking dos países com maior potencial segurador, tanto no ramo de Vida quanto de Não Vida.

A construção do indicador está baseada nas estimativas do tamanho da Lacuna de Proteção do Seguro (BPS, na sigla em espanhol) nesses mercados, bem como sua capacidade de consumi-la. A BPS representa a diferença existente entre a cobertura de seguros, que é economicamente necessária e benéfica para a sociedade, e a quantidade da cobertura mencionada, efetivamente adquirida. Não se trata de um conceito estático, mas sim que se modifica em função do crescimento da economia e da população de um país, e também do surgimento de novos riscos inerentes ao desenvolvimento socioeconômico. Essa lacuna chegou a 5,77 trilhões de dólares, ou 658 pontos de base (pbs) do PIB global. Isto é dividido em 70,8% para a BPS no segmento Vida e os demais 29,2% são correspondentes ao segmento Não Vida (4,089 e 1,690 trilhões de dólares, e 466 e 193 pontos de base do PIB global, respectivamente). “A lacuna atual está em mais de 70% pelo seguro de infraestruturas dos países emergentes. Nesse sentido, o envelhecimento da população, o crescimento da renda e de seu tamanho são fatores determinantes da ampliação da lacuna de seguros do negócio Vida nesses países. A BPS do negócio de Não Vida também cresceu ao longo das três últimas décadas, embora muito menos”, destaca Manuel Aguilera, diretor geral da MAPFRE Economics.

Para o cálculo do GIP-MAPFRE, além da BPS, leva-se em consideração outras variáveis, como a penetração (prêmio/PIB), o próprio tamanho da economia ou o nível populacional, entre outros. Por fim, oferece uma pontuação que organiza cada mercado de acordo com sua contribuição ao final da lacuna de seguramento global. Assim, para se situar em uma posição alta no ranking, os mercados devem ter um tamanho relevante (medido em termos de PIB) e determinada capacidade para fechar sua própria lacuna de seguramento.

 

Entretanto, o relatório valoriza aqueles países com grandes capacidades para fechar sua lacuna, mas que contam com relativamente pouca relevância econômica e que os localiza mais abaixo no ranking. O relatório atenta para esses mercados porque, dada sua convergência, representam uma fonte futura para um potencial segurador. Por exemplo, referente ao segmento Vida, há três países (Paquistão, Egito e Nigéria) que poderão disputar lugares nas primeiras dez posições da lista, atualmente ocupados por outros mercados emergentes. Por sua vez, identificam-se, dentro do ramo de Não Vida: Paquistão, Egito, Bangladesh, Nigéria e Filipinas, nessa ordem, como países com grandes capacidades para recortar a lacuna de seguramento nacional. Ao crescer de em termos de tamanho, poderão ultrapassar, no longo prazo, no índice de potencial de outros mercados emergentes.

 

Índices interativos

A MAPFRE Economics, o Serviço de Estudos da MAPFRE, criou, por meio de uma base de dados exclusiva, ferramentas interativas que permitem ampliar o conhecimento do setor de seguros no mundo todo. Entre elas, estreia hoje uma exclusiva para o Índice Global de potencial segurador. É possível consultá-la em https://www.mapfre.com/pt-br/informacao-interativa/

Além disso, você também poderá consultar a versão completa do relatório aqui.