PRINCIPAIS DADOS DO EXERCÍCIO

  • O lucro estaria situado em 703 milhões de euros (+6,8%) descontando a receita extraordinária de Bankia e os custos de reestruturação das operações.
  • As receitas do Grupo aumentam em 7,2%, superando 27.257 milhões de euros e os prêmios crescem 8,2%, chegando a 22.155 milhões de euros.
  • A diversificação oferece resultados: todas as áreas regionais e as unidades de negócio do Grupo contribuem de maneira positiva para o lucro.
  • IBÉRIA, Brasil, América do Norte e RE impulsionam o crescimento nos resultados, enquanto LATAM lidera o aumento nos prêmios.
  • Em 2021, o impacto dos sinistros relacionados com a COVID atingiu 460 milhões, 79% procedente de LATAM.
  • O ROE do Grupo aumenta quase 3 pontos percentuais, para se situar em 9% no encerramento de 2021.
  • O dividendo retorna a níveis prévios à pandemia, com 14,5 centavos por ação relativos ao exercício 2021.

O lucro atribuído da MAPFRE em 2021 totalizou 765 milhões de euros, número que representa 45,3% a mais em comparação com o ano anterior, graças ao bom comportamento do negócio nas áreas regionais IBÉRIA e América do Norte, nas quais o crescimento do lucro é superior a 15%, ao bom desempenho do negócio ressegurador e ao lucro extraordinário (167 milhões de euros) gerado pela finalização da aliança com Bankia. Parte desse lucro, 104 milhões, foi destinado para reforçar a rentabilidade futura da empresa, adaptar e melhorar a eficiência operacional das operações na Espanha e na Itália, assim como para otimizar a estrutura financeira do Grupo.

Este resultado demonstra a grande resiliência do Grupo, que em 2021 enfrentou sinistros relacionados com a COVID-19 no montante superior a 460 milhões de euros. Por linhas de negócio, o detalhamento deste impacto é:

 

As receitas do Grupo aumentaram 7,2% durante 2021, até superar 27.257 milhões de euros, enquanto os prêmios atingiram 22.155 milhões de euros, representando um crescimento de 8,2%. Este incremento nos prêmios se afirma na favorável evolução do negócio na área regional IBÉRIA, na América Latina (em que quase todos os países crescem) e no negócio ressegurador.

A taxa combinada teve um incremento de 2,7 pontos percentuais, até 97,5%, afetados pelo aumento da sinistralidade como consequência da eliminação das restrições para a mobilidade e pela ainda elevada sinistralidade pela COVID-19 na América Latina, especialmente nas ramificações de vida risco e saúde. A taxa combinada estaria situada em 96,1% sem os custos, mencionados acima, efetuados para reforçar o negócio. Assim mesmo, os sinistros COVID representam um agravamento adicional de pouco mais de um ponto na taxa combinada. Sem os dois efeitos, a taxa combinada estaria situada em redor de 95%.

 

 

O patrimônio atribuível do Grupo no final de 2021 totalizou 8.463 milhões e os ativos totais atingiram 63.854 milhões de euros, uma evolução condicionada pela saída de Bankia.

Por sua vez, os investimentos da MAPFRE alcançam 46.160 milhões de euros e quase metade deles corresponde a renda fixa soberana.

No fechamento de setembro de 2021, a taxa de Solvência II se posicionou em 193,8%, com 87% de capital da mais alta qualidade (nível 1). Essa taxa reflete uma abordagem prudente do balanço e uma gestão ativa dos investimentos, bem como a grande solidez e resiliência do balanço da MAPFRE.

1.- UNIDADE DE SEGUROS

Os prêmios da Unidade de Seguros no final de 2021 foram de 18.176 milhões de euros, 8,9% a mais em comparação com o ano anterior, enquanto o lucro chegou a 786 milhões de euros, semelhante ao alcançado em 2020.

 

Ibéria

  • Na Área Regional IBÉRIA (Espanha e Portugal), os prêmios cresceram 8,5% até superar 7.596 milhões de euros, com um resultado de 541 milhões de euros (+19,3%).

Na Espanha, os prêmios totalizaram 7.466 milhões de euros, representando um incremento de 8,8%, 3,8 pontos a mais que o crescimento do setor no ano 2021. Este crescimento superior ao mercado é observado tanto no negócio Vida como Não Vida. O lucro do negócio na Espanha atingiu 534 milhões de euros, 20% a mais que no exercício anterior, e continua como o país que mais contribui para o lucro do Grupo.

É importante salientar a evolução do negócio Automóveis, com 6,2 milhões de veículos segurados (+3,7% em comparação com o ano anterior), e prêmios de 2.259 milhões (+1,1%), em comparação com uma queda do setor de 0,9%.

Assim mesmo, os prêmios do negócio de Seguros Gerais, 2.198 milhões de euros (+3%), refletem o bom desempenho da maior parte das ramificações Não Vida, com destaque para o crescimento de Lar (+2,1%), Comunidades (+6,8%) e Empresas (+7,6%). Por sua vez, o negócio de Saúde e Acidentes cresceu 9,5%, para 689 milhões de euros. O crescimento do seguro de saúde dobra a evolução setorial desta ramificação na Espanha.

No negócio Vida, o crescimento foi de 23,8% (quase o triplo que o crescimento do mercado), até alcançar um volume de prêmios de 2.130 milhões de euros. Destaca-se a melhoria do negócio Vida-Poupança, com um incremento de 35,9%, e a boa evolução do canal de agência, que aumenta seus prêmios em mais de 36%.

No fechamento de 2021, o patrimônio dos fundos de aposentadoria foi de 6.431 milhões de euros, 11,8% a mais, enquanto os fundos de investimento aumentaram em 20,7%, chegando a 4.677 milhões de euros.

Brasil:  

  • No Brasil, os prêmios tiveram um incremento de até 3.340 milhões de euros, evidenciando um crescimento de 8,3%, percentagem que se eleva até alcançar 15,2% em moeda local. Por ramificações, Seguros Gerais é o que mais contribui para o Grupo, com um volume de prêmios de 1.723 milhões de euros (+20,3%), seguido por Vida, com 1.155 milhões de euros (-4,5%) e Automóveis, com crescimento de 4% até 461 milhões de euros. É importante salientar a boa evolução tanto do canal MAPFRE, que cresce 14,1%, como do canal bancasseguros, que se incrementa em 16,2%, ambos em moeda local.

Latam Norte:

  • Na Área Regional Latam Norte, os prêmios do negócio de seguros aumentaram 38,9%, para 2.188 milhões de euros. Quase todos os países desta área regional incrementaram seu volume de negócio, com destaque para a contribuição do México, com um crescimento de 70,9% (+9% sem a apólice bienal) até 1.318 milhões de euros. A República Dominicana cresceu 5,7% até 343 milhões de euros, enquanto os prêmios no Panamá totalizaram 224 milhões de euros (+5,4%).

Latam Sul:

  • Os prêmios da Área Regional Latam Sul tiveram um incremento de 11,5% até superar 1.618 milhões de euros, apesar da depreciação de várias moedas da região (-12,4% sol peruano, -12,1% peso argentino e -5% peso colombiano). O Peru continua como o país desta área regional com maior contribuição de prêmios para o Grupo, 517 milhões de euros em 2021, um incremento de 1,9%, seguido da Colômbia, com crescimento de 24,5% até 365 milhões de euros. O Chile contribui com prêmios no montante de 339 milhões de euros (+8,8%) e a Argentina com 184 milhões de euros, 30,5% a mais que no ano anterior.

América do Norte:

  • No fechamento de 2021, os prêmios chegaram a 2.073 milhões de euros, uma queda de 1,2%, na região da América do Norte. Em moeda local, no entanto, o crescimento é próximo de 2%. O lucro desta área regional aumentou 16,3% até 89 milhões de euros. Nos Estados Unidos, o negócio permaneceu estável, com 1.738 milhões de euros em prêmios, consequência tanto da depreciação do dólar como das estritas medidas de controle técnico implantadas nos últimos anos. Em Porto Rico, os prêmios se situaram em 335 milhões de euros (-5,5%) e o lucro deste país superou 16 milhões de euros, em comparação com as perdas do ano anterior, consequência dos terremotos acontecidos nesse país.

Eurásia:

  • Na Área Regional Eurásia, os prêmios se situaram em 1.361 milhões de euros (-8,3%), afetados pela forte depreciação da lira turca (26%). Destaca-se a evolução de Malta, com um crescimento do negócio de 17,6% até 405 milhões de euros, graças à boa evolução do negócio de Vida-Poupança (+21%), e Alemanha, com 373 milhões de euros em prêmios (+3,2%), consequência de uma ótima campanha comercial e de um excelente índice de renovações. Na Turquia, os prêmios se situaram em 304 milhões de euros (+26% em moeda local), 6,5% a menos como consequência da depreciação da moeda, e uma queda no negócio de automóveis derivado do rigor técnico na assinatura.

2.- UNIDADES DE RESSEGURO E GLOBAL RISKS

Os prêmios da MAPFRE RE, que inclui o negócio de resseguro e o de grandes riscos, cresceram em 10,3% no exercício 2021 até 6.275 milhões de euros, com um lucro atribuído de 152 milhões de euros, o que significa multiplicar por 9 o registrado no exercício anterior.

Por sua vez, o negócio ressegurador encerrou o ano com prêmios de 4.992 milhões de euros (+12,7%) e um resultado de 118 milhões de euros, em comparação com os 2 milhões do ano anterior. Este crescimento tem lugar após ter enfrentado importantes sinistros catastróficos, com destaque para a tormenta Bernd na Europa, cujo impacto líquido no resultado totaliza 93 milhões de euros.

Os prêmios do negócio de Global Risks aumentaram em 2%, chegando a 1.283 milhões de euros, com um lucro de 34 milhões de euros, mais que o dobro de 2020.

3.- UNIDADE DE ASSISTÊNCIA

Para finalizar, as receitas da unidade de Assistência sofreram uma redução de 21,1% até 560 milhões de euros, originada pela intensa reestruturação que está sendo efetuada e que inclui a saída de países não estratégicos. No entanto, esta unidade retorna a resultados positivos, com um lucro líquido de 0,6 milhões de euros, em comparação às perdas de 21 milhões de euros do ano anterior.

DIVIDENDO

O Conselho de Administração acordou em propor à assembleia geral de acionistas um dividendo complementar relativo ao exercício 2021 de 8,5 centésimos de euro brutos por ação. Com esta proposta, recupera-se o dividendo que o Grupo pagava antes da pandemia.

Dessa forma, o dividendo total relativo ao exercício de 2021 subiu para 14,5 centésimos de euro brutos por ação, o que representa um índice de pagamento de 58,4%. Em 2021, a MAPFRE destinou 416 milhões de euros para pagamento a seus acionistas.

No ano civil de 2021, a rentabilidade da cotação média foi superior a 7,6%.

COMPROMISSO SOCIAL:

Os principais indicadores do compromisso social do Grupo são os seguintes:

  • Contribuição tributária: além do cumprimento de todas as obrigações legais e tributárias nos respectivos países, a contribuição tributária do Grupo no Imposto sobre Sociedades para o exercício de 2021 foi de 319 milhões de euros, o que equivale a uma taxa em relação ao lucro de 23,6%.
  • Compromisso em investimentos ASG: Aproximadamente 90% de todos os ativos da carteira da MAPFRE, excluindo a dívida soberana, têm avaliações altas e muito altas em suas medições ASG (aspectos sociais, ambientais e de boa governança corporativa).
  • Compromisso com o emprego: Mais de 97% dos 32.350 funcionários da MAPFRE em todo o mundo têm contrato por tempo indeterminado.
  • Compromisso com a diversidade: No final de 2021, 49,1% dos postos de responsabilidade na MAPFRE foram ocupados por mulheres. No que se refere à inclusão, as pessoas com deficiências representam 3,5% do total do quadro de funcionários, o que supera o objetivo de 3% que o Grupo fixou para o fim de 2021.
  • Compromisso com a sociedade: 12% do quadro de funcionários global participou no programa de voluntariado corporativo, com 169.000 pessoas diretamente beneficiadas no mundo.
  • Compromisso com o meio ambiente: O Grupo está comprometido em reduzir sua pegada de carbono até que a neutralidade nas emissões mundiais seja alcançada em 2030.