PRINCIPAIS DADOS DO EXERCÍCIO

  • As receitas cresceram 7,1%, chegando a 28,472 bilhões de euros, e os prêmios cresceram 2,2%, chegando a 23,044 bilhões.
  • Os lucros das unidades de seguros, principal negócio da MAPFRE, cresceram 17,7%, ultrapassando 806 milhões de euros.
  • Um aumento notável da lucratividade nos três principais mercados (Espanha, Brasil e Estados Unidos).
  • O negócio de resseguros fatura 77 milhões de euros, apesar do forte impacto de sinistros extraordinários.
  • Dividendo financeiro: a MAPFRE mantém o dividendo e pagará a seus acionistas € 0,145 por ação a partir dos resultados de 2019.
  • Dividendo social: o Grupo contribui com 324 milhões de euros em impostos de sociedades, com uma taxa efetiva de 25% sobre lucros.

O lucro líquido da MAPFRE em 2019 foi de 609 milhões de euros, valor que representa um aumento de 15,2% em relação ao ano anterior. As receitas do Grupo aumentaram 7,1%, chegando a 28,472 bilhões de euros. Quanto aos prêmios, o aumento foi de 2,2%, chegando a 23,044 bilhões de euros, graças à boa evolução dos negócios na Espanha, na região Latam Norte, aos negócios de resseguro, entre outros. As taxas de câmbio de moeda não tiveram um impacto relevante nesse exercício (+0,2%)

Os resultados deste ano estão fortemente condicionados pelo gastos com os danos causados pelos furacões Faxai e Hagibis, no Japão (107 milhões de euros), pelos distúrbios causados no Chile (24 milhões) e pelos danos derivados das DANAs (depressão isolada em níveis altos), na Espanha (17 milhões), entre outros eventos. Os gastos do ano de 2019 também incluem uma redução ao valor recuperável do ágio da MAPFRE ASSISTÊNCIA no montante líquido de 66 milhões de euros. Sem considerar os impactos catastróficos e a deterioração do ágio em 2018 e 2019, o lucro da MAPFRE teria aumentado 1%, para 822 milhões de euros.

A redução ao valor recuperável dos ágios não tem efeito na tesouraria da MAPFRE, não afeta a força e a flexibilidade financeira do Grupo, nem dos modelos de capital que apoiam os ratings e o elevado nível de solvência, visto que os fundos de comércio estão excluídos do cálculo.

A taxa combinada da MAPFRE é de 97,6%, destacando a melhoria desse indicador no Brasil, Latam Norte e nos Estados Unidos, graças às medidas adotadas no âmbito do objetivo de crescimento rentável.

No final de 2019, o patrimônio atribuível do Grupo era de 8,854 bilhões de euros, um aumento de 10,8%. E o total de ativos cresceu 7,8%, chegando a 72,51 bilhões de euros.

Os investimentos do Grupo aumentaram 8,6% no último ano, chegando a 53,523 bilhões de euros. Cerca de 56,2% desses investimentos correspondem à dívida soberana e 17,5% à renda fixa corporativa. Além disso, 5,2% são investimentos em ações e 4,7% em tesouraria.

No fechamento de setembro de 2019, a Taxa de Solvência II ficou situada em 195%, em comparação com 198% de junho, com 87% de capital da mais alta qualidade (nível 1). É importante ressaltar que a taxa de solvência mantém uma grande solidez e estabilidade, sustentado em uma alta diversificação e em política estrita de investimento e gerenciamento.

1.- Evolução do negócio:

Os prêmios da Unidade de Seguros em 2019 totalizaram 19,292 bilhões de euros, o que representa um aumento de 3% em relação ao ano anterior. O lucro atribuível cresceu 17,7%, chegando a 806 milhões de euros.

Espanha: 10 trimestres superando o mercado

  • Na área regional Ibéria (Espanha e Portugal), os prêmios aumentaram 0,8%, chegando a 7,718 bilhões de euros, melhorando também seus resultados em 3,6%, chegando a 498 milhões de euros, apesar do impacto das DANAs (depressão isolada em níveis altos), cujo gasto estimado é de 17 milhões de euros.

Na Espanha, os prêmios aumentaram em 7,582 bilhões de euros, o que representa um crescimento de 0,8% frente a uma queda no setor de 0,4% registrada pelo mercado. No ramo de automóveis, os prêmios cresceram 1,3%, em linha com o mercado, até 2,314 bilhões de euros. Da mesma forma, a boa evolução do negócio Residencial, que cresceu 4,8% (meio ponto a mais que o mercado), e a das Comunidades, com um aumento de 8,5% (quase três vezes o crescimento do mercado). Os prêmios de saúde e acidentes também apresentaram comportamento positivo, aumentando 3,7%, melhorando também a taxa combinada.

Os prêmios da MAPFRE VIDA totalizaram 2,473 bilhões de euros, 5,8% a menos que no ano anterior. Essa queda é motivada pelas dificuldades derivadas das taxas de juros baixas, o que dificulta a venda de seguros de economia, bem como a redução do negócio de seguros bancários, devido às campanhas de locações de grupos e produtos da economia lançados em 2018 e que não se repetiram em 2019. Destaca-se a boa evolução dos seguros de vida risco, que cresceram quase 10%. Da mesma forma, é importante destacar o aumento do patrimônio líquido dos fundos de aposentadoria, que cresceu 12,4%, chegando a 5,479 bilhões de euros, enquanto os fundos de investimento aumentaram 11,1%, para quase 3,6 bilhões de euros.

Brasil: lucro cresce 79%

  • No Brasil, os prêmios totalizaram 3,978 milhões de euros, 0,1% a mais que no período anterior, percentual que sobe para 2,1% em moeda local. O negócio de Seguros Gerais é o que mais contribui para o Grupo, com 1,63 bilhão de euros. Já o negócio de Vida alcançou 1,503 bilhão, e o de Automóveis, 843 milhões de euros. O lucro atribuído desta área regional aumentou 79,1%, chegando a 97 milhões de euros, graças à evolução positiva dos negócios de Seguros Geral e de Automóveis, que também melhoraram suas taxas combinadas em mais de seis pontos percentuais, consequência das medidas adotadas com o objetivo de aprimorar a rentabilidade desse ramo.

Latam Norte: lucro cresce 44,6%

  • Os negócios da Área Regional Latam Norte cresceram 50,7%, chegando a 1,973 bilhão de euros. Este aumento deve-se em parte à renovação da apólice plurianual da PEMEX, no montante de 450 milhões de euros, e ao bom desempenho dos principais mercados da região. O México cresceu 84,2%, chegando a 1,325 bilhão de euros; a Guatemala, 18,3% (74 milhões); a República Dominicana, 13,9%, a 149 milhões de euros, e o Panamá, 9,3%, ultrapassando os 223 milhões de euros. O resultado dessa área regional cresceu 44,6%, para 63 milhões de euros, e sua taxa combinada melhorou 3,4 pontos percentuais, até 94,7%, com uma evolução positiva em todos os países.

Latam Sul: Peru, o motor da região

  • Os prêmios da Área Regional Latam Sul foram de 1,597 bilhão de euros, o que representou uma queda de 0,6%. Destaca-se a evolução do Peru, cujos prêmios aumentaram 12,3%, para 552 milhões de euros. Da mesma forma, na moeda local, praticamente todos os países crescem, especialmente a Argentina (+32,8%), o Peru (+8%) e o Paraguai (+5,3%). É importante ressaltar a recuperação da Colômbia, que passa de uma perda de 10 milhões de euros em 2018 para um lucro de 5 milhões de euros em 2019.

América do Norte: os EUA multiplicaram seu lucro por sete

  • Na Área Regional da América do Norte, os prêmios no final de 2019 eram de 2,332 bilhões de euros (-3,9%). Essa redução é explicada pelas medidas adotadas nas assinaturas, que afetam tanto a renovação da carteira existente quanto os novos negócios e a saída de alguns estados, com o objetivo de aumentar a rentabilidade dos negócios. No entanto, o lucro dos EUA foi multiplicado por sete, chegando a 57 milhões de euros. Destaca-se também a melhoria de 1,7 ponto percentual da taxa combinada dessa área regional.

Eurásia: lucro cresce 21%

  • Os prêmios da área regional Eurásia foram de 1,696 bilhão de euros (-4%), enquanto o resultado registrou um aumento de 21%, chegando a 15 milhões de euros. Destaca-se a evolução da Alemanha, com um crescimento de 4,7%, chegando a 343 milhões de euros. Enquanto isso, a Itália mantém o volume de negócios (471 milhões de euros). Na Turquia, os prêmios totalizaram 448 milhões (-7,7%), fortemente influenciados pela depreciação da lira turca (13,1%) e pela rígida política de assinaturas destinada a reduzir o peso do ramo de automóveis, uma marca da política de crescimento rentável do Grupo.

Unidade de resseguros: lucro de 77 milhões apesar do aumento de catástrofes

  • Os prêmios da Unidade de Resseguros no fechamento de 2019 foram de 4,52 bilhões de euros, 19,4% a mais que no ano anterior. O resultado líquido do negócio de resseguros foi de 77 milhões de euros, 48% a menos, devido ao impacto dos furacões Faxai e Hagibis (107 milhões) e pelos distúrbios do Chile (20 milhões).

Enquanto isso, os prêmios da MAPFRE GLOBAL RISKS atingiram 1,06 bilhão de euros (-9,7%) e o resultado negativo (19 milhões) foi fortemente impactado por vários sinistros, com um gasto líquido de 27 milhões de euros.

Por último, os lucros da unidade de Assistência foram reduzidos em 0,4%, ou 979 milhões de euros. O resultado foi fortemente impactado pela redução ao valor recuperável do ágio no Reino Unido (48 milhões), nos Estados Unidos e no Canadá (17 milhões), e pelo gasto de 10 milhões de euros para reestruturar os negócios em vários países.

2.- Dividendo financeiro: compromisso com os acionistas

O Conselho de Administração decidiu propor à assembleia geral de acionistas um dividendo complementar relativo aos resultados do exercício 2019 de 0,085 euros brutos por ação. Assim, o dividendo total cobrado nos resultados do exercício de 2019 foi de 0,145 euros bruto por ação, o que representa um pagamento de 73,3% e um retorno sobre a cotação média de 5,7%. A MAPFRE alocará um total de 447 milhões de euros a seus acionistas a partir dos resultados de 2019.

3.- Dividendo social:

Os principais indicadores do compromisso social do Grupo são os seguintes:

  • Contribuição tributária: além do cumprimento de todas as obrigações legais e tributárias nos respectivos países, a contribuição tributária do Grupo para o exercício de 2019 foi de 324 milhões de euros, o que equivale a uma taxa de 25% em relação ao lucro.
  • Compromisso ASG: aproximadamente 90% de todos os ativos da carteira da MAPFRE, excluindo a dívida soberana, têm avaliações altas e muito altas em suas medições de desempenho ESG (aspectos sociais, ambientais e de boa governança corporativa).
  • Compromisso com o emprego: 97% dos 34 mil funcionários da MAPFRE em todo o mundo têm contrato por tempo indeterminado.
  • Compromisso com a diversidade: no fechamento de 2019, 48,3% das vagas em postos de responsabilidade foram preenchidas por mulheres. Em relação à inclusão, está sendo realizado um trabalho para que, no final de 2021, as pessoas com deficiência representem pelo menos 3% do quadro de funcionários. No fechamento do exercício passado, elas já representam 2,9%.
  • Compromisso com a sociedade: 125 mil pessoas foram beneficiadas pelas ações realizadas por mais de 10.300 funcionários e seus familiares, graças ao programa de voluntariado corporativo.
  • Compromisso com o meio ambiente: o Grupo está comprometido em reduzir sua pegada de carbono até que a neutralidade nas emissões mundiais seja alcançada em 2030. Mas o objetivo mais imediato é alcançar zero emissões na Espanha e em Portugal até o final de 2021.