CHAVES DO EXERCÍCIO

  • A receita da MAPFRE teve um aumento de 1,5%, alcançando 27 bilhões e 92 milhões de euros, e os prêmios superaram 22 bilhões e 813 milhões de euros, representando um aumento de 2,2%.
  • O lucro líquido descontando os extraordinários, tanto em 2015 quanto em 2016, cresceria 41%.
  • O índice combinado do Grupo aumentou em mais de um ponto, situando-se em 97,4%, com destaque especial para a Espanha, com 95%.
  • Houve um forte crescimento do negócio na Espanha (+7,1%) e nos Estados Unidos (+6,2%).
  • Foi um exercício excelente para a MAPFRE RE, que apresentou lucros de cerca de 22%.
  • O índice de Solvência II situa-se em 200%, com 93% do capital de ativos de máxima qualidade (TIER 1).
  • A MAPFRE pagará a seus acionistas 14,5 centavos por ação relativos aos resultados de 2016, 11,5% a mais do que no ano anterior.
  • O Conselho de Administração propõe ao Conselho de Acionistas a nomeação de Francisco Marco Orenes como conselheiro executivo da MAPFRE S.A.

O lucro líquido da MAPFRE durante o exercício de 2016 aumentou 9,4%, até atingir 775 milhões de euros, em um ano que ficou marcado pelo bom comportamento de seus três mercados principais (Espanha, Brasil e Estados Unidos) e pelos magníficos resultados da MAPFRE RE. É importante destacar que o lucro líquido da MAPFRE, se descontássemos os extraordinários em ambos exercícios, cresceria um 41%. A receita do Grupo foi de 27 bilhões e 92 milhões de euros, cifra que representa um aumento de 1,5% em relação ao ano anterior, e os prêmios registraram um aumento de 2,2%, chegando a um total de 22 bilhões e 813 milhões de euros.

O patrimônio líquido, no fechamento de 2016, situou-se em 11 bilhões e 444 milhões de euros, um aumento de 10% em relação ao ano anterior, graças ao bom comportamento dos mercados e à evolução positiva das principais divisas (dólar e real). Por outro lado, os fundos próprios tiveram um aumento de 6,4%, alcançando 9 bilhões e 127 milhões de euros, e os ativos totais subiram 7%, situando-se no fechamento do ano em 67 bilhões e 882 milhões de euros.

Do mesmo modo, é importante destacar a evolução do índice combinado que diminuiu 1,2 ponto no último exercício, alcançando 97,4%.

“2016 foi um ano muito positivo para a MAPFRE. A nossa estratégia, baseada no crescimento rentável, nos permitiu ter um aumento dos lucros de quase 10% e consolidar a nossa posição nos principais mercados”, afirmou Antonio Huertas, presidente da MAPFRE.

1.- Evolução do negócio:

A Unidade de Seguros obteve prêmios de 18 bilhões e 727 milhões em 2016, o que representa um aumento de 1,7% com relação ao ano anterior.

→ A Área Regional IBÉRIA (Espanha e Portugal), que contribui com 28,7% do total dos prêmios do Grupo, teve um aumento na receita por prêmios de 6,6%, atingindo 7 bilhões e 139 milhões de euros. Na Espanha, o crescimento do número de prêmios foi de 7,1%, chegando a 6 bilhões e 962 milhões de euros. O negócio de automóveis encerrou o ano com um crescimento de 2,6%, alcançando 2 bilhões e 165 milhões de euros com cerca de 5,5 milhões de veículos segurados. Vale também destacar a evolução do negócio de multirriscos que cresceu 6,1% (praticamente o dobro do crescimento médio do setor), ultrapassando 1 bilhão de euros, e do seguro de saúde, com um volume de prêmios de 494 milhões de euros, 7,7% a mais do que no ano anterior, porcentagem que representa um aumento de 2,6 pontos sobre o crescimento do mercado. É importante destacar a evolução do índice combinado que melhorou 2,6 pontos, alcançando 95%, graças a uma rigorosa política de assinatura e seleção de riscos, especialmente nos ramos de automóveis e multirriscos.

O negócio de MAPFRE Vida, por sua parte, cresceu 18,1%, atingindo um volume de prêmios de 2 bilhões e 155 milhões de euros, em um ambiente caracterizado ao longo do exercício por baixas taxas de juros. É importante salientar o crescimento dos seguros com prêmio único que aumentou 60,3%, chegando a 1 bilhão e 205 milhões de euros. O negócio de fundos de investimento teve um aumento de 30% (742 milhões de euros), atingindo mais de 3 bilhões e 208 milhões de euros, enquanto que o patrimônio dos fundos de pensões colocou-se em 4.684 milhões de euros.

→ Os prêmios da Área Regional BRASIL situaram-se em 4 bilhões e 587 milhões de euros, uma redução de 4,7%, afetados pela situação econômica do país e pela desvalorização da moeda. O negócio agrário e o de multirriscos registraram crescimentos de 13% e 9%, respectivamente. Esta Área Regional contribui com 18,5% dos prêmios do Grupo. A solidez da MAPFRE no Brasil permitiu que o lucro se mantivesse estável inclusive em um contexto econômico adverso.

→ A Área Regional LATAM SUL registrou um volume de prêmios que somou 1 milhão e 922 bilhões de euros durante o exercício de 2016 (-5,4%). Vale destacar o crescimento em moeda local no Peru (+7,2%), com aumentos significativos no negócio de multirriscos e de saúde, bem como na Colômbia (+1,9%), com destaque para a boa evolução do negócio automóveis. A Argentina, por sua vez, registra um aumento dos seus prêmios em moeda local de 37,8%, alcançando 333 milhões. A LATAM SUL representa 7,7% do total de prêmios da MAPFRE.

→ Os prêmios da Área Regional LATAM NORTE chegaram a 1 bilhão e 343 milhões de euros (-27,4%). Esta diminuição é causada, pela apólice plurianual em 2015 e o cancelamento de contratos deficitários, principalmente no México. O resto dos países da Área Regional apresentaram crescimentos em moeda local. Esta Área Regional contribui com 5,4% dos prêmios da MAPFRE. 

→ A Área Regional AMÉRICA DO NORTE registrou um volume de prêmios no fechamento de 2016 de 2 bilhões e 902 milhões de euros, cifra que representa um aumento de 4,5%. Vale destacar a evolução do negócio nos Estados Unidos com um crescimento de 6,2% (+7,2% em moeda local), atingindo 2 bilhões e 539 milhões de euros, com uma melhoria muito significativa da sinistralidade, que diminuiu quase 6 pontos até 77,5%. Esta Área Regional contribui com 11,7% dos prêmios do Grupo.

→ Os prêmios da Área Regional EMEA tiveram um aumento de 29,7%, superando 2 bilhões e 571 milhões de euros, com crescimento em praticamente todos os mercados. Destaque para a Turquia, cujos prêmios atingiram 890 milhões de euros, 18,2% a mais, enquanto em Malta o crescimento foi de 23,4%, até 335 milhões de euros. Os prêmios na Alemanha se situaram em 321 milhões de euros e na Itália em 558 milhões de euros. 2016 é o primeiro exercício completo em que o negócio direto destes países se consolida nas contas da MAPFRE. Esta Área Regional representa 10,4% do total de prêmios do Grupo.

→ A Área Regional APAC, que representa 0,5% dos prêmios totais do Grupo, teve um aumento de prêmios durante o exercício de 2016 de 13,4%, alcançando 130 milhões de euros.

Os prêmios da Unidade de Resseguro aumentaram 13,5% durante o ano passado, totalizando 4 bilhões e 235 milhões de euros. Destaque também para a consecução de novos contratos nas Áreas Regionais APAC, AMÉRICA DO NORTE e IBÉRIA. O resultado líquido deste negócio aumentou 22%, chegando a 186 milhões de euros. A MAPFRE RE contribui com 17,1% dos prêmios totais do Grupo e 20,1% do lucro atribuível.

A Unidade de Riscos Globais, por sua vez, teve um aumento nos prêmios de 3,2% durante o exercício de 2016, alcançando 1 bilhão e 212 milhões de euros, e as receitas da Unidade de Assistência, Serviços e Riscos Especiais situaram-se em 1 bilhão e 156 milhões de euros (-4,4%).

2.- Dividendo:

O Conselho de Administração acordou propor à Assembleia Geral de Acionistas um dividendo complementar, relativo aos resultados do exercício de 2016, de 8,5 centavos de euro brutos por ação. Desta forma, o dividendo total relativo aos resultados do exercício chegará a 14,5 centavos de euro por ação, com uma rentabilidade de 5,03% a preços atuais da ação. Desta forma, a MAPFRE destinará 447 milhões de euros para o pagamento de seus acionistas, relativos aos resultados do exercício de 2016, 11,5% a mais que no ano anterior, e eleva o payout de 56,5% para 57,6% nos últimos doze meses.

 3.- Nomeações

 Na reunião do dia 7 de fevereiro, o Conselho de Administração da MAPFRE concordou em propor ao Conselho de Acionistas a nomeação de Francisco José Marco Orenes como conselheiro executivo do Conselho de Administração da MAPFRE S.A.

Por outro lado, Andrés Jiménez Herradón finaliza como vocal deste conselho, sendo valido o dia 22 de fevereiro, ao cumprir os cinco anos desde a sua finalização como conselheiro executivo da MAPFRE S.A.

Mesmo assim, o Conselho decidiu designar a Rafael Márquez Osorio como novo vocal do Comitê de Auditoria, substituindo a Andrés Jiménez Herradón, sendo efetivo desde a mesma data.

Madri, 8 de fevereiro de 2017. Para obter mais informações, entre em contato com a Direção Corporativa de Comunicação da MAPFRE (telefone 91 581 83 66; 91 581 91 68; 91 581 87 14), e-mail: javier.fernandez@mapfre.com; juanfrances@mapfre.com; joaquinhernandez@mapfre.com.

 As Medidas Alternativas de Rendimento (MAR), utilizadas no relatório, que correspondem às medidas financeiras não definidas e não detalhadas no marco da informação financeira aplicável, sua definição e calculo pode-se consultar diretamente no link: https://www.mapfre.com/corporativo-es/accionistas-inversores/inversores/informacion-financiera/medidas-alternativas-rendimiento.jsp