• A companhia promove o consumo responsável de recursos, bem como a redução, a reutilização e a reciclagem de resíduos.
  • Em 2022 conseguiu converter sua sede na Espanha em ‘Resíduo Zero’, um projeto que implantarão países como o México, Brasil e Porto Rico. 
  • Compromete-se a reciclar 84% de todos os resíduos gerados no Grupo até 2024 e valorizar 90% para 2030.
  • Além disso, eliminou todas as garrafas e copos de plástico descartáveis, graças ao projeto ‘MAPFRE Sem Plásticos’.
  • A MAPFRE integra a economia circular em sua estratégia de negócio. Em 2021, a Cesvi Recambios recuperou cerca de 157.000 peças de veículos fora de uso para reutilizá-los em diferentes mercados.

A MAPFRE se une hoje, 17 de maio, ao Dia Mundial da Reciclagem, uma data em que coloca em evidência seu compromisso com a sustentabilidade e a economia circular, um dos principais desafios globais.

Neste sentido, a MAPFRE aspira a tornar-se uma empresa de referência neste modelo de produção, que, segundo a entidade, permite gerar oportunidades de negócio ao mesmo tempo que se protege o meio ambiente e a sociedade.

O Grupo promove o consumo responsável de recursos, bem como a redução, reutilização e a reciclagem de restos, diminuindo assim o depósito no aterro sanitário. Realiza, além disso, ações para combater o desperdício alimentar e contrata gestores com modelos de negócio que vão em consonância com os princípios de circularidade.

Deste modo, no ano passado, gerou um total de 3.112 toneladas de resíduos em todo o Grupo, das quais, 2.960 toneladas, isto é 95% do total, foram submetidas a processos de valorização, isto é de recuperação, reciclagem e produção de energia.

Entre seus principais marcos em 2021, destaca ter evitado o consumo de 1.132 toneladas de papel graças à assinatura eletrônica biométrica, ter reutilizado 49% do total de resíduos de equipamentos informáticos na Espanha, ter doado 41.149 kg de equipamentos informáticos no Grupo e ter reciclado 351 toneladas de resíduos em quatro edifícios, o que representa 92% dos resíduos que gera a entidade em sua sede corporativa, na Espanha. Esta última conquista foi possível graças ao projeto ‘Resíduo Zero’, um certificado concedido pela AENOR às entidades que classificam os resíduos que geram para que possam ser reutilizados ou reciclados e não acabem em um aterro sanitário, e que a MAPFRE estenderá antes de 2024 a países como o Brasil, México e Porto Rico.

Destaca, além disso, o fato de ter eliminado todas as garrafas e copos de plástico descartáveis, graças ao projeto ‘MAPFRE Sem Plásticos’.

Milhares de peças de automóveis recicladas

A companhia tratou, também, um total de 38.819 veículos fora de uso, dos quais recuperou 156.948 peças para sua reutilização em diferentes mercados, graças a CESVIMAP, Centro de Experimentação e Segurança Viária MAPFRE. Este centro tecnológico global está especializado na reparação e reciclagem de veículos, entre outros serviços, e é uma referência em como se desfazer dos veículos de uma maneira sustentável, alongando a vida das peças, facilitando a reutilização de matérias-primas, como o plástico e o vidro, e reduzindo o consumo de energia.

O Plano de Pegada Ambiental 2030 da MAPFRE estabelece um objetivo ambicioso de valorização para os próximos anos: aproveitar 84% dos resíduos gerados pelo Grupo nos países onde opera para 2024, e de 90%, para 2030.