As receitas da MAPFRE chegaram a 27,984 bilhões de euros, 3,3% a mais, e o lucro ultrapassou 700 milhões
5 ( 1 voto )

PRINCIAIS DADOS DO EXERCÍCIO

  • Os prêmios ultrapassaram 23,480 milhões de euros, representando um aumento de 2,9%.
  • O custo líquido das catástrofes naturais de setembro ficou em 157 milhões, 20 milhões de euros a menos do que a estimativa inicial.
  • Na maioria das regiões, o índice combinado sofreu uma melhoria, ficando o destaque com a Espanha, com 93,4%.
  • A MAPFRE cresceu aproximadamente 4% na Espanha, em comparação com uma queda de 0,7% do mercado.
  • Em 2017, a VERTI Espanha atingiu rentabilidade.
  • O negócio na Turquia, na Colômbia, no Peru e na Itália, entre outros mercados, teve uma boa evolução.
  • Excelente comportamento da MAPFRE RE, que contribuiu com 163 milhões de euros para o lucro do Grupo, apesar do impacto das catástrofes.
  • A MAPFRE pagará a seus acionistas 0,145 centavos de euros por ação relativos aos resultados de 2017.

Em 2017, a receita da MAPFRE chegou a 27,984 bilhões de euros, o que representa um aumento de 3,3% em relação ao ano anterior e os prêmios ficaram acima de 23,480 bilhões de euros, representando 2,9% de crescimento anual. O lucro líquido do Grupo foi de 701 milhões de euros, o que representa uma queda de 9,7% devido ao custo extraordinário das catástrofes naturais registradas em 2017, e que exerceu um impacto líquido de 126 milhões de euros no lucro. Isto não inclui o custo assumido pela MAPFRE RE, por ser considerado ordinário das suas atividades.

Resulados MAPFRE 2017

“Existem muito poucas companhias capazes de fazer com que os resultados de um risco catastrófico tão extraordinário como o sofrido em 2017 encaixe em seus resultados. Para a MAPFRE, isto representou ter que tratar com dois terremotos e três furacões. Fechar o exercício com um resultado acima de 700 milhões de euros é uma demonstração da capacidade e da solvência da MAPFRE, e da adequação da nossa estratégia baseada no crescimento rentável, que estamos registrando, e que compensa esse tipo de evento extraordinário”, apontou o presidente da MAPFRE, Antonio Huertas.

A boa evolução do negócio da Espanha, bem como o excelente comportamento das atividades de resseguros, é admirável, porque apesar das catástrofes, o índice combinado continua sendo excelente (94,8%) e contribuiu com 163 milhões de euros para os lucros. A evolução da rentabilidade em certos países, como a Turquia, o Peru, a Colômbia e a Itália, também é digna de destaque.

O patrimônio líquido ficou situado em 10,513 bilhões de euros, enquanto os fundos próprios no encerramento de 2017 estiveram no patamar de 8,611 bilhões de euros, 5,6% a menos, devido principalmente à depreciação das divisas em relação ao euro (639 milhões de euros). Os ativos totais chegaram a 67,570 bilhões de euros.

É importante salientar que o combinado ficou situado em 98,1%, com destaque para a evolução positiva na Espanha e nas áreas regionais da Latam Norte e da Latam Sul. Sem o impacto das catástrofes, o índice combinado teria ficado em 96,9%, 0,5 pontos percentuais abaixo do ano anterior.

No encerramento de 2017, os investimentos do Grupo chegaram a 49,796 bilhões de euros. A maior parte desses investimentos, 55%, corresponde à dívida soberana, enquanto 19,2% são investimentos de renda fixa corporativa e 8,1% está em renda variável e fundos de investimento. É importante sublinhar a qualidade desses investimentos, considerando que 24% do total deles possui qualificação de crédito AAA, AA ou A, e 64% BBB. Além disso, é de salientar os investimentos realizados pelo Grupo em investimentos alternativos em 2017, em um total de 292 milhões de euros.

No fechamento de setembro de 2017, o índice de Solvência II ficou situado em 189,4%, em comparação com 205,6% de junho, com 93% de capital da mais alta qualidade (TIER 1). Essa redução se deve principalmente à amortização da dívida subordinada em julho, e que foi emitida 10 anos antes. É importante sublinhar que o índice de solvência mantém uma grande solidez e estabilidade, sustentando em uma alta diversificação e em políticas estritas de investimento e gerenciamento.

1.- Evolução do negócio:

Em 2017, a Unidade de Seguros obteve prêmios de 19,376 bilhões, uma cifra que representa 3,7% de aumento em relação ao ano anterior.

→ O negócio na Área Regional Ibéria (Espanha e Portugal) teve um aumento de 3,8%, chegando a 6,960 bilhões de euros em prêmios. É importante destacar a evolução do negócio na Espanha, que cresceu quase 4%, chegando a 6,821 bilhões de euros, enquanto o mercado registrou 0,7% de queda, bem como a evolução positiva do índice combinado, que melhorou 0,8 pontos percentuais no último ano, chegando a 93,4%. O seguro de automóveis cresceu 3,2%, atingindo 2,235 bilhões. Além disso, seu índice combinado sofreu uma melhoria, situando-se em 90,8%, 6,5 pontos percentuais a menos que no ano anterior. O negócio de seguros gerais aumentou 2,8%, atingindo 1,653 bilhão de euros, enquanto o ramo de Saúde e Acidentes registrou 4,7% de crescimento, fazendo com que seus prêmios chegassem a 549 milhões de euros.

2017 foi o ano em que a VERTI atingiu rentabilidade na Espanha, com 75 milhões de euros em prêmios e mais de 260.000 clientes.

O negócio da MAPFRE Vida, por sua vez, cresceu 4,7%, atingindo 2,257 bilhões de euros em prêmios, em comparação com a evolução negativa (-5,6%) registrada pelo mercado. Esse crescimento foi impulsado pelo negócio de banco segurador e é muito significante considerando o cenário de baixas taxas de juros que caracterizou todo o exercício. O patrimônio dos fundos de investimento teve 15,3% de aumento (mais de 500 milhões de euros), atingindo 3,700 bilhões de euros, enquanto que os fundos de pensões aumentaram 8,5% (quase 400 milhões de euros). No encerramento de 2017, o patrimônio chegou a 5,082 bilhões de euros.

→ Os prêmios da Área Regional Brasil cresceram 3,5% chegando a 4,547 bilhões de euros, ficando o destaque para a contribuição do negócio de Seguros Gerais, que contribuiu com 1,787 bilhão de euros (+9,5%), seguido pelo de Vida, com 1,551 bilhão de euros (+1,8%), e o de Automóveis, com 1,205 bilhão de euros (-2,2%).

→ Em 2017, o negócio da Área Regional Latam Norte aumentou quase 40%, chegando a 1,772 bilhão de euros. O México teve um aumento de 65,2% que se deveu, principalmente, à renovação da apólice da Pémex, contribuindo com 1,183 bilhão de euros. Também é de destacar a contribuição do Panamá, com um volume de prêmios de 218 milhões (+4,3%), e a República Dominicana, com 125 milhões de euros (+5,7%).

→ A Área Regional Latam Sul registrou 1,699 bilhão de euros de volume de prêmios (-1,4%). Entre os países dessa área regional, se destacou a contribuição do Peru, com 1,4% de crescimento e 470 milhões de euros em volume de prêmios; a Colômbia, que obteve 394 milhões de euros de prêmios (-1,9%); e a Argentina, com 292 milhões de euros de prêmio e 3,6% de crescimento.

 → A Área Regional América do Norte encerrou o ano com 2,529 bilhão de euros de volume de prêmios (-3,6%). Nos Estados Unidos, os prêmios caíram 2,6%, chegando a 2,202 bilhões de euros. A MAPFRE está reajustando seu negócio nesse país, a fim de otimizar sua estrutura de crescimento rentável e concentrar as operações em um número mais reduzido de estados.

→ Os prêmios da Área Regional EURÁSIA (que engloba as operações na Europa, exceto a Espanha e Portugal, Oriente Médio, a África e a Ásia) chegaram a 1,870 bilhão de euros (-5,1%). São de salientar a contribuição da Turquia (653 milhões), da Itália (471 milhões), Malta (351 milhões) e da Alemanha (311 milhões). Neste último país, a MAPFRE está operando com a marca VERTI desde junho. O negócio da ABDA (Indonésia), do qual a MAPFRE controla 62,3%, foi integrado no Grupo em junho e, desde então, contribuiu com 44 milhões de euros. A excelente evolução da rentabilidade em todos os mercados mencionados também é digna de destaque.

Em 2017, os prêmios da Unidade de Resseguro permaneceram estáveis e finalizaram o exercício em 4,222 bilhões de euros. É importante sublinhar a excelente evolução que esse negócio teve, obtendo 163 milhões de euros de lucro, apesar do impacto gerado pelas catástrofes registradas em 2017 em suas contas. Logicamente, o índice combinado subiu (0,8 pontos percentuais), ficando em 94,8%.

A Unidade de Riscos Globais, por sua vez, teve 3,7% de aumento em seus negócios em 2017, chegando a atingir prêmios no valor de 1,257 bilhão de euros. Como foi a unidade mais afetada pelas catástrofes naturais, cujo impacto em suas contas chegou a 77 milhões de euros, seu resultado é negativo.

Finalmente, no encerramento de 2017, as receitas da Unidade de Assistência, Serviços e Riscos Especiais ficaram em 1,114 bilhão de euros (-3,7%).

Resultados MAPFRE 2017.